Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Integrantes do MST ocupam secretaria e pedem melhorias em escolas do Piauí

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade

Famílias de assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam na manhã desta quinta-feira (29) a sede da Secretaria de Educação e Cultura do estado durante protesto. Segundo o representante do movimento, a mobilização é para cobrar melhorias e infraestrutura nas escolas dos assentamentos e transporte escolar.

Pais e alunos que residem em assentamentos do Piauí ocupam prédio da Secretaria de Educação do Piauí (Foto: Gil Oliveira/ G1)Famílias de assentamentos do MST ocupam prédio da Secretaria de Educação (Foto: Gil Oliveira/ G1)

 

Cerca de 150 pessoas ocuparam a sede do gabinete do secretário estadual de educação, Alano Dourado, e afirmaram que só deixarão o local após conversarem com o gestor. “Temos vários problemas estruturais nas escolas da rede estadual de ensino nos assentamentos. Faltam salas, professores e até transporte escolar para os alunos”, reclamou o coordenador de setor de educação do MST, Adilson de Apiaim.

Segundo o coordenador, no total há 39 assentamentos do MST no estado e desses apenas 11 contam com escolas da rede estadual. “O número de escolas é inferior a demanda de alunos e ainda temos o problema da falta de estrutura e professores. Na maioria das vezes, as salas são improvisadas em casas de famílias do próprio assentamento”, relatou Adilson.

O problema relatado pelo coordenador pode ser constatado na escola do aluno Pedro Matheus, de 13 anos. Ele contou que mora no assentamento Santa Isabel e caminha diariamente mais de 12km para chegar ao Colégio Arthur Medeiros, no bairro Usina Santana, Zona Sudeste de Teresina.

Mãe e filho reclamam da falta de transporte escolar em assentamentos do Piauí (Foto: Gil Oliveira/ G1)Mãe e filho reclamam da falta de transporte escolar
em assentamentos do Piauí (Foto: Gil Oliveira/ G1)

“Todo dia saiu cedo de casa para não chegar atrasado e ser impedido de entrar. Como estudo à tarde, saio às 17h30 da escola, mas depois de andar tanto só chego em casa à noite e minha mãe fica muito preocupada”, relatou Matheus.

A mãe de Matheus conta que o transporte escolar deixou de pegar os alunos do assentamento desde o ano passado. “Agora em 2014 não tem transporte e para não ficar sem estudar é o jeito caminhar tanto. Ele já chega na escola cansado e não consegue tirar tanto proveito das aulas, mas é o único jeito. Se tivesse o transporte não ficaria preocupada com ele por volta na estrada sozinho à noite”, disse a dona de casa Maria do Rosário.

Com a falta de transoporte escolar, 180 alunos do Colégio Lucas Meireles, na comunidade Chapadinha Sul, Zona Rural de Teresina, estão há 17 dias em aula. "Os alunos estão sem aulas há mais de duas semanas porque não tem transporte escolar. Essa escola atende 11 comunidades de assentados onde a distância chega a 18km, por isso, não tem como os alunos caminharem todos os dias até a escola", reclamou Adilson Apiaim.

A assessoria da Seduc informou que o secretário estava em reunião no Palácio de Karnak durante a manhã desta quinta-feira (29), mas que iria receber os manifestantes. Por volta das 12h um grupo de pessoas que representa as famílias foi levada para uma reunião com o gestor.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários