Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Conselho tutelar denuncia facilitação na fuga de menores de abrigo no Piauí

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade

Abrigo Casa de Punaré foi denunciado (Foto: Ascom/Divulgação)Abrigo Casa de Punaré foi denunciado (Foto: Ascom/Divulgação)

O Conselho Tutelar de Teresina denunciou que crianças abrigadas no abrigo Casa de Punaré, Zona Norte, estão fugindo do local e que funcionários podem estar facilitando a fuga desses menores. Um dos casos mais preocupante foi de um adolescente de 15 anos que, ameaçado por traficantes, foi colocado no abrigo, mas em pouco menos de 48 horas desapareceu do local sem deixar pistas.

Segundo a conselheira Socorro Arraes, alguns funcionários dizem que o jovem pulou o muro e fugiu.  “O que se sabe, é que o menor disse que está sendo ameaçado de morte e que sua mãe é presidiária, envolvida com o tráfico de drogas. Ele pediu ajuda ao Conselho Tutelar, que o recolheu e o encaminhou para a Casa de Punaré, de onde sumiu”, afirmou.

A conselheira disse que já procurou o Juizado da Criança e do Adolescente para informar a situação e que essa não foi a primeira fuga no abrigo. “Várias fugas já ocorreram nessa mesma circunstância, sem que funcionários vejam ou tentem impedir. O caso está ficando cada dia mais grave, esse problema tem que ser resolvido, pois as crianças que estão abrigadas já passam por um problema dentro da família e lá seria um lugar para amenizar esse sofrimento”, relatou.

A juíza Maria Luiza, da Vara da infância e da Juventude do Piauí, afirmou que uma sindicância já foi aberta e que todos os casos serão apurados. “Nós instauramos um pedido de abertura de sindicância e queremos resolver isso o quanto antes. Tanto no abrigo masculino quanto no feminino, o juizado tem recebido várias denúncias de fuga e de outros problemas”, explicou a juíza.

No abrigo, ninguém quis se pronunciar. Lá, afirmam apenas que o jovem era um dos menores do local. Enquanto isso, o Conselho Tutelar tenta encontrá-lo com a intensificação das buscas. Um dos conselheiros está em contato direto com a família.

Luiz Brandão, diretor do abrigo, disse que o menor teria fugido porque entrou num processo de abstinência, ou seja, na casa de acolhimento ele não poderia usar drogas e fugiu para suprir a necessidade. “Esse jovem tem uma história muito complicada, mas mesmo assim decidimos acolhê-lo, porém ele encontrou um jeito de fugir. Nós estamos apurando para saber se houve falhas de funcionários”, afirmou o diretor.

A Casa de Punaré atende em regime de abrigo a adolescentes do sexo masculino em processo de rompimento com vínculos familiares e expostos às diversas formas de violência.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários