Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Penitenciários de Parnaíba paralisam por 48h e cancelam mais de 200 visitas

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade

Agentes penitenciários de Parnaíba paralisaram atividades por 48h (Foto: Kleiton Holanda/Sinpoljuspi)Agentes penitenciários de Parnaíba paralisaram atividades por 48h (Foto: Kleiton Holanda/Sinpoljuspi)

Agentes da Penitenciária Mista de Parnaíba, Litoral do Piauí, continuam nesta quarta-feira (24) com a paralisação de 48h da categoria, na qual eles reivindicam a desatualização salarial sofrida desde a fundação da unidade prisional. No segundo dia de movimento, mais de 200 visitas familiares e íntimas foram suspensas, o que causou insatisfação dos presos e um princípio de motim.

Segundo diretor administrativo Kleiton Holanda, do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), os 55 servidores lotados no presídio recebem metade do salário dos demais agentes de outras unidades prisionais do estado. "Além disso, eles têm que cuidar de cinco vezes da quantidade permitida de presos, cerca de 500 internos masculinos e femininos, e os semi-abertos. Os agentes têm uma excessiva jornada de trabalho, porque são poucos servidores para uma demanda grande, com péssimas condições. Temos 29 servidores que perderam 50% de suas contribuições e isso é incompreensível", contou.

Servidores reivindicam atualização salarial e melhores condições de trabalho (Foto: Kleiton Holanda/Sinpoljuspi)Servidores reivindicam atualização salarial e
melhores condições de trabalho (Foto: Kleiton
Holanda/Sinpoljuspi)

Para o Sinpoljuspi, a paralisação é apenas um sinal de alerta para chamar o estado para uma negociação. "É preciso resolver o problema para a situação não ficar mais grave. O clima é tenso e os agentes de Parnaíba pedem 50% do vencimento em referência de outra unidade prisional", informou o diretor.

Durante a paralisação as atividades como visitas de advogados, deslocamentos de detentos para audiências, recebimentos de presos de delegacias, transferências de outras unidades prisionais, recebimento de alimentos ou sacolas de visitantes, atendimentos internos que não estejam relacionados à segurança também foram suspensos.

De acordo com o sindicato, os agentes compareceram ao local de trabalho e mantiveram os serviços essenciais como: distribuição de alimentação, água e medicamentos para os presos, cumprimentos de ordens judiciais, vistorias de rotina e banho de sol.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários