Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Atendimento de delegacias especializadas é alvo de reclamações

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade

O complexo de delegacias especializadas no Centro de Teresina criado para facilitar a vida da população está longe de agradar e o motivo é um só: o horário de funcionamento. Os distritos funcionam nos períodos manhã e tarde de segunda a sexta-feira e durante o fim de semana o serviço é feito apenas em um plantão para todas as especializadas. No complexo funcionam as delegacias de Defesa e Proteção dos Direitos Humanos e às Condutas Discriminatórias (Delegacia das Minorias), do Idoso, da Mulher, a de Repreensão aos Crimes de Trânsito e a delegacia do Silêncio.

  Complexo de Delegacias funciona no Centro de Teresina (Foto: Catarina Costa / G1)Complexo de Delegacias funciona no Centro de Teresina (Foto: Catarina Costa / G1)

Para a população, o funcionamento no fim de semana deixa a desejar e muitas vezes a pessoa tem que retornar na segunda-feira para ser atendida. Segundo uma cabeleireira, que não quis se identificar, o sentimento que fica é o de tristeza e desrespeito. "É triste, eu precisei da delegacia da Mulher em um sábado à noite e não consegui resolver nada. Só fui ter um retorno quando voltei lá na segunda-feira. Você procura algo pra ter uma ajuda, uma segurança e não tem. É uma falta de respeito", desabafou a profissional que precisou da delegacia após sofrer uma tentativa de estupro.

De acordo com a cabeleireira, ela estava em casa com o filho quando o vizinho entrou na residência. "Meu marido estava trabalhando, eu estava sozinha com o meu filho, o bandido conseguiu entrar após destelhar uma parte do teto e ter acesso a um dos quartos. Eu não estava vulnerável, nem na rua, mas dentro da minha casa e acontece uma coisa dessas. Os meus vizinhos ainda tentaram pegar o criminoso, mas ele fugiu. Já abalada com tudo isso, preciso da delegacia e só consigo resolver na segunda. É terrível, revoltante. O sentimento que fica é o de impunidade. Hoje, eu não quero mais tocar nisso, prefiro tentar esquecer", relatou a cabeleireira.

Fizemos Justiça, diz delegada Vilma Alves (Foto: Ellyo Teixeira/G1) Vilma Alves, delegada da mulher
(Foto: Ellyo Teixeira/G1)

Outra pessoa que recorreu à delegacia especializada e não conseguiu atendimento foi um travesti, que também não quis ser identificado. Ele disse que precisou registrar uma queixa num sábado à noite, após ser espancado com pedaços de pau no Centro da cidade. "Estava no meu ponto quando fui agredido. Busquei a delegacia e como não era caso de urgência disseram que eu poderia deixar para registrar na segunda-feira. Isso foi demais! Eu sei que as demandas dessas delegacias especializadas podem não ser tão grandes e mantê-las aberta pode não ser viável para o estado, mas a cada dia aumenta o número de crimes. Algumas coisas precisam ser repensadas", declarou.

O delegado Sebastião Escórcio, da Delegacia das Minorias, afirmou que o plantão do fim de semana funciona com três ou quatros pessoas e que a instrução dada é para atender todos os casos. "Não é para ninguém ficar desassistido. Os casos são registrados, é feito o boletim de ocorrência e no começo da semana começamos as investigações. Caso alguém não consiga registrar no plantão, passa a ser uma falha administrativa e o caso tem que ser levado para a Corregedoria da Polícia, pois essa é a função do turno especial: atender a todos", falou.

A titular da Delegacia da Mulher, Vilma Alves, informou que tem os mesmos horários de funcionamento das outras delegacias do complexo e que em casos de flagrante a pessoa se encaminha até o plantão, e a partir daí será levada para a Central de Flagrantes. Caso a ocorrência seja de urgência e emergência o B.O deve ser registrado no plantão e a diligência começará somente na segunda-feira.

A delegada ainda informou que os delegados das especializadas dão plantão na Central de Flagrante com o intuito de atender os casos de flagrante e que não vê problema nos horários estabelecidos nas delegacias especializadas.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários