Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Índice de analfabetismo no Piauí é de 19,7%, aponta pesquisa do IBGE

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade

O Brasil possui mais de 13 milhões de analfabetos e, apesar do número significativo, a taxa de analfabetismo caiu no ano passado de 8,7% para 8,3%, uma queda de 0,4%. O Piauí tem o terceiro pior resultado do país (19,7%), perdendo apenas para Alagoas e o Maranhão. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada nessa quinta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O analfabetismo também caiu no Nordeste, porém continua sendo a região que concentra o maior número de pessoas que não sabem ler e escrever. Somente nesta região está concentrada mais da metade dos analfabetos do país, com 53,6%. O estado de Alagoas é que tem o maior índice 21,7% e a menor taxa da região é da Bahia 14,6%.

Apesar da pequena queda de 0,4%, o índice representa uma vitória para as quase 298 mil brasileiros que conseguiram sair dessa estatística. Como no caso da Dona Maria Helena, que tem 64 anos, e não vê a hora de contar para os netos as histórias que ainda não lê. “Eu resolvi estudar para ensinar aos netos alguma coisa”, disse.

Diferente de Dona Maria, que buscou mudar sua história após os 60 anos, outras famílias continuam convivendo com a analfabetismo. Por exemplo, o casal de idosos Jacó e Maria Antônia moram em Teresina e permanecem sem frequentarar a escola. “A inveja que eu mais tenho é que não sei nem escrever o nome”, lamenta Jacó. Os filhos do casal começaram a frequentar a escola depois dos 12 anos, mas ainda não dominam a escrita.

Para quem lida no dia-a-dia com o desafio de diminuir esses números um fator é fundamental: a experiência de vida. “Muitas vezes estão iniciando na alfabetização de adultos, mas eles já trazem uma bagagem. Uma mala cheia de experiência de vida. Eles têm muito a dar e a trocar. Então, o principal é essa valorização”, comentou Patrícia fortuna, coordenadora do programa de Ensino de Jovens e Adultos no Piauí.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários