Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Justiça proíbe vaquejada de Curimatá por irregularidade em patrocínio

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade
Decisão judicial  (Foto: Reprodução/TJ-PI)Decisão judicial (Foto: Reprodução/TJ-PI)

A vaquejada de Curimatá, região Sul do Piauí, foi cancelada pelo Tribunal de Justiça. O evento estava marcado para iniciar nesta sexta-feira (13), mas a decisão do juiz Edilson Chaves de Freitas, publicada na quinta-feira (12), proibiu a atividade até que a prefeitura explicasse o dinheiro utilizado para patrocinar a atividade.  A decisão partiu de uma Ação Civil Pública Cautelar ajuizada pelo Ministério Público do Piauí.

O procurador de Curimatá, William Luz, explicou que o pedido foi motivado pela não regularização do patrocínio da prefeitura, desrespeitando o uso do dinheiro público, assim como o atraso de dois meses do pagamento dos salários dos professores do município. William também explicou que o juiz cedeu o prazo de 72 horas para que a prefeitura esclarecesse o patrocínio, mas nada foi feito.

“A vaquejada não é mais para acontecer por causa da decisão judicial e, caso os organizadores a descumpram, poderá ocorrer prisões em flagrante, incluindo o pagamento de multas. Se a Prefeitura explicar e regularizar o patrocínio, o evento, talvez, poderá ocorrer em outro momento. Deixamos claro que a decisão está publicada no site do Tribunal de Justiça para informação de todos e que ela não foi tomada com base de crime contra os animais, mas com a irregularização do patrocínio”, disse o promotor.

O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Curimatá, mas eles preferiram não comentar o caso.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários