Veja os resultados de outras Loterias

Mega
Lotomania
Quina
Lotofácil
Dupla
Timemania
Federal

Vereadores aprovam mototaxímetro e profissionais reclamam do projeto

  • Por:  
  • Publicado em Piauí
Publicidade

Os vereadores de Teresina aprovaram em segunda votação o Projeto de Lei que obriga mototaxistas a utilizarem mototaxímetro ou aplicativos em smartphones, tablets ou similares, para padronizar os valores a serem cobrados nos serviços de transporte de passageiros da capital. A votação aconteceu nesta quinta-feira (10) na Câmara Municipal. Houve confusão durante a apreciação do PL, pois os profissionais que foram acompanhar a sessão não concordavam com a nova legislação.

Mototaxistas discutiram com vereadores após votação de projeto (Foto: Catarina Costa/G1)Mototaxistas discutiram com vereadores após votação de projeto (Foto: Catarina Costa/G1)


O projeto foi aprovado com 13 votos favoráveis e um contra e agora segue para apreciação do Prefeito de Teresina, Firmino Flho, que deverá aprovar ou vetar o PL. Para a categoria, se o projeto entrar em vigor, os mototáxistas que trabalham de forma regularizada pela Strans serão prejudicados.

“Já conversamos com mototaxistas de outros estados que usam este sistema de cobrança e eles nos contaram que tiveram prejuízos depois da lei porque o preço da corrida aumentou e as pessoas preferiram utilizar o serviço dos mototaxistas que trabalham sem o sistema, pois eles cobram um valor mais barato pela corrida. Nós tememos que isso também aconteça em Teresina”, disse o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Ricardo Ribeiro.

A categoria também reclama do investimento que terão que fazer para que possam usar o mototaxímentro.“O preço do equipamento é alto porque ele não é comercializado no Piauí. Para adquirí-lo temos que comprar em outro estado e custa caro”, justificou. 

Nelson Silva trabalha como mototaxista há oito anos e afirmou que a categoria nunca foi procurada pelos vereadores para discutir a utilização ou não do sistema. “Ficamos sabendo da apreciação deste projeto de lei somente ontem. Ninguém falou com a gente, quis saber nossa opinião. Estamos indignados porque ao invés de solicitar da Strans a fiscalização do trabalho dos clandestinos, os vereadores estão trabalhando em favor deles. Pedimos ao parlamentar que votou conta nos acompanhe até o Ministério Público para tentar impedir que esta lei entre em vigor”, disse.


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários