Rede Brasil lança guia para empresas sobre contratação de refugiados

  • Por:  
  • Publicado em Mundo
Publicidade
A Rede Brasil do Pacto Global, por meio do grupo temático de direitos humanos e trabalho, lançou documento sobre o engajamento de empresas na causa dos refugiados e um guia de perguntas e respostas com as principais dúvidas sobre as possibilidades de contratação.
O documento é resultado do diálogo promovido na primeira edição do projeto “Empoderando Refugiadas” em junho, em São Paulo. O evento reuniu cerca de 50 pessoas, entre representantes de empresas, organizações da sociedade civil e governo.
O objetivo foi incluir o setor privado no diálogo sobre refúgio e gênero, trazendo exemplos nacionais e internacionais na área, além de fornecer orientações e workshops a refugiadas sobre o mercado de trabalho brasileiro.
Os participantes debateram as possíveis ações que empresas podem adotar no Brasil com o objetivo de facilitar a integração de refugiados e refugiadas no país em três áreas: trabalho e educação; sensibilização e cultura; e saúde.
Destaque Durante a atividade “Empoderando Mulheres”, 20 refugiadas que vivem no Brasil discutiram questões ligadas à igualdade de gênero, ao mercado de trabalho e também formas de abordar e prevenir a violência contra a mulher. ACNUR/Ricardo Jayme Durante a atividade “Empoderando Mulheres”, 20 refugiadas que vivem no Brasil discutiram questões ligadas à igualdade de gênero, ao mercado de trabalho e também formas de abordar e prevenir a violência contra a mulher.

Entre as sugestões práticas do relatório, está a criação de um programa em que o refugiado possa acompanhar as atividades de um profissional da sua área de atuação no Brasil, bem como a realização de palestras para funcionários das empresas, discutindo temas relacionados à diversidade cultural.

Além de responder a dúvidas, o documento com perguntas e respostas traz um panorama do refúgio no Brasil, explicações sobre os direitos de trabalho destas pessoas, documentos de apoio, bem como casos de empresas que integraram refugiados em sua equipe, como Lojas Renner e do Grupo Carrefour.

Entre os benefícios relatados por empresas que promovem atividades para refugiados estão a melhoria da imagem corporativa, maior engajamento de funcionários, apoio à diversidade no ambiente de trabalho e desenvolvimento de habilidades de liderança para os funcionários que atuam como mentores de refugiados.

Além disso, pessoas em situação de refúgio geralmente falam mais de uma língua, o que é interessante para casos de clientes que não falam português.

Novo vídeo do projeto

A Rede Brasil do Pacto Global, por meio do grupo de trabalho de direitos humanos e trabalho, produziu novo vídeo do projeto “Empoderando Refugiadas”, desta vez sobre a conclusão da primeira edição da iniciativa.

No total, a ação teve a participação de 33 mulheres de países de África, América Latina e Oriente Médio, assim como de parceiros: Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), ONU Mulheres, Caritas, Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados (PARR) e a consultoria em recursos humanos Fox Time.

O objetivo da iniciativa é sensibilizar o setor privado sobre a causa dos refugiados no Brasil, que estão legalmente habilitados para serem contratados pelas organizações.

Acesse o relatório “Setor Privado e Refugiados no Brasil: Diálogo e Engajamento”.
Conheça o FAQ “Contratação de Refugiados e Refugiadas no Brasil”.
Assista ao novo vídeo do Empoderando Refugiadas, que contou com a parceria de Consulado da Mulher, Itaipu Binacional, Lojas Renner e Sodexo.

Com informações Agência ONU


Adicionar comentário

Importante: O conteúdo postado neste espaço é de responsabilidade do autor.


Código de segurança
Atualizar

Entre para postar comentários